NOVENA DE SÃO JOÃO CALÁBRIA – 1º DIA

TEMA: Retornemos ao Evangelho

AMBIENTE: Palavra de Deus em destaque e imagem de São João Calábria.

INTRODUÇÃO: Neste primeiro encontro, voltaremos nossa atenção sobre o tema do Evangelho. As expressões “Retornemos ao Evangelho” e “Sejamos Evangelhos vivos” são muito frequentes nos escritos de São João Calábria. seu desejo era de uma vivência intensa, radical: “Retornemos às fontes puras e genuínas do Evangelho, vivendo como viviam os primeiros cristãos...”. A renovação ou a transformação da vida só pode vir da prática do santo Evangelho. É preciso acabar com o contraste existente entre aquilo que o Evangelho ensina e aquilo que nós vivemos. Nós devemos ser o Evangelho na prática, ou seja, Evangelhos vivos.

CANTO: Estaremos aqui reunido ou outro.

HISTÓRIA DE VIDA: 
A) Certo dia, no ano de 1925, Pe. João Calábria estava no seu escritório. Entrou um jovem sacerdote para conversar com ele. Na sua mesa estava o livro do Evangelho. O Pe. Calábria tinha o aspecto sofredor e estava numa atitude de abandono. O jovem sacerdote, recém formado em teologia, apontando o livro do Evangelho na mesa falou: “Que pena! Os evangelistas nos deixaram tão pouco à respeito de Cristo!”
           Pe. Calábria então se reanimou e juntando as mãos, entrelaçando os dedos e erguendo a altura do peito, respondeu: “Se nós puséssemos em prática aquele pouco, seria o suficiente para sermos santos e transformar o mundo”.

B) Em outras oportunidades, Pe. Calábria escreveu: “Sejamos Evangelhos vivos, e antes de pregá-lo, pratiquemo-lo. O Evangelho seja por nós aplicado ao pé da letra... O Evangelho não se contradiz nunca: ‘Passarão o céu e a terra, mas a Palavra de Deus permanece’. Nós vivemos esta experiência desde muitos anos, e também no momento atual nos comove ver como a Providência socorre quem nela confia e nela se abandona”.

PALAVRA DE DEUS: Mateus 7,24-27 - "Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha. Mas quem ouve estas minhas palavras e não as pratica é como um insensato que construiu a sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela caiu. E foi grande a sua queda".

PALAVRA DE SÃO JOÃO CALÁBRIA: A PALAVRA DE DEUS
Quanta importância se dá aqui na terra à palavra dos homens! E está certo. Mas quanto mais valor não devemos nós dar à Palavra do Senhor! Acreditemos, portanto, no Senhor e confiemos na sua Palavra.
Cada uma das Palavras de Deus – permitam-me a expressão – é consagrante, sacramental: realiza o que diz.
É claro que Deus não tem pressa; Ele tem à sua disposição a eternidade. É por isso que Ele vai deixando que os seus desígnios amadureçam gradativamente, um pouquinho de cada vez: é segredo das obras de Deus. Acreditemos, portanto, em todas as palavras do Santo Evangelho. Honremos a Deus com essa fé plena e generosa. Que não se dirija a nós aquela queixa do Senhor: “Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim”. Vivamos, portanto, a nossa época; trabalhemos, valorizando a nossa vocação de cristãos.
Façamos muito caso do pouco que a Providência nos confiar e, assim fazendo, já teremos colaborado com o trabalho divino para o progresso da humanidade no caminho traçado por Deus. A humanidade sempre foi, mas é, especialmente agora, como uma única família, tendendo a se unir cada vez mais e a conservar-se intimamente unida.
A lei dos vasos comunicantes também tem sua aplicação na vida moral e espiritual; cumprindo com a nossa parte, por menor que seja aparentemente, estamos nos comunicando com todos os que trabalham na Igreja de Deus e realizam os desígnios divinos.
Tudo é grandioso, nada é sem importância, quando é feito em honra da Majestade infinita de Deus.
É só fazê-lo bem, é só fazê-lo no espírito do Senhor, sustentados e guiados pela sua Graça. Tenhamos sempre diante dos olhos o exemplo de Jesus: Ele, que era Filho de Deus, não se recusou a ser um pobre operário.

REFLEXÃO:
Que valores o Pe. Calábria tem em mente quando convoca ao retorno da pratica do santo Evangelho?
Que critérios orientam o mundo, a Igreja, a nossa comunidade e a nossa vida?
Que sinais em nossa comunidade refletem os valores do Evangelho?

COMPROMISSO: O Pe. Calábria nos diz: “Não basta pregar, falar... antes de tudo é preciso praticar o que Jesus e os Apóstolos nos deixaram”.
A partir da nossa realidade, o que Deus nos pede?

CANTO: Pela Palavra de Deus
CANTO FINAL: Senhor, que queres que eu faça.

(Texto da Novena tirado do livro: NOVENA DE SÃO JOÃO CALÁBRIA. Congregação Pobres Servos da Divina Providência. Proibida a divulgação sem os créditos).